terça-feira, 11 de outubro de 2011





Do lado de fora de mim

 a vida a desenrolar-se crepitante


palpitante como terra molhada

mas no meu peito ainda o desejo

de trazer a mim algumas coisas


 e guardar e abraçar cá dentro

 com o vagar e  o tempo

 que é preciso para acomodar

 as recordações dos risos

 das amizades partilhadas

dos rios de correntes frescas

 que têm a doçura aveludada 

 dos abraços que querem ficar


e fazer de mim mulher mais feliz 


mais plena e afortunada...


14 comentários :

João Menéres disse...

Desculpa, RUTE.
esta tua postagem merece tempo e eu ainda não comecei sequer os agradecimentos e já passa da meia-noite.

Se puder, amanhã tento compensar, está bem ?

Um beijo.

Remus disse...

O que é que tentava descobrir lá fora? Um homem jeitoso, bem constituído, de machado ao ombro a trabalhar como lenhador? Ou um vendedor de seguros, vestido com um fato Armani?
:-)

Nos comentários dos posts anteriores, a Rute disse que não gostava da chuva. Pois eu, já sinto falta dela. Estou farto deste ar carregado a fumo, provocado pelos incêndios. Deste calor anormal que nos deixa atordoados. E além disso, as nabiças e as pencas precisam de uma boa regadela que só a chuva pode fazer. :-)

Existe um Olhar disse...

Gosto de fotografia e das tuas fotos, mas os teus poemas são algo de sublime.

Beijos
Manu

Rute disse...

João

Ora essa, venha quando puder e quando quiser...

1 beijo:)

Fábio Martins disse...

Rute, não te escondas. Mostra-te ao mundo pois temos de viver de forma a aproveitar o tempo que temos de vida :-)

mfc disse...

O poema parece feito àquela janela... e que lindo que é!
Como lindo é o teu olhar!

Rute disse...

Remus

Agora fizeste-me rir:)) Mas nenhum desses dois tipos faz o meu género...não havia nada menos radical, hem?...

Eu gosto da chuva que aparece no verão ou na Primavera, não gosto é daquela que cai todo o santo Inverno e mantém o céu cinzento semanas e semanas a fio...fico deprimida e rabujenta...Mas reconheço que este calor é exagerado e que " as nabiças e as pencas" devem estar sequiosas de águas vindas dos céus;) ...

1 beijo:)

Rute disse...

Manu

Muito obrigada...gostava de ter mais tempo para escrever porque é uma coisa que me dá imenso prazer. Mas ainda estou muito longe de escrever poemas sublimes...fico contente por saber que gostas deles:))

1 beijo:)

Rute disse...

Fábio

...então estamos de acordo nisto :" temos de viver de forma a aproveitar o tempo que temos de vida". E olha que o meu poema não diz o contrário...e também não sou nada de me esconder;)

1 beijo

Rute disse...

mfc

Obrigada pelas tuas amáveis palavras...

1 beijo:)

Miguel Bueno disse...

Belleza y ritmo. Mereces la felicidad que pregonas.
Saludos
Piedra

Rute disse...

Miguel

Obrigada pela visita e pela amabilidade das palavras:)

Helder Ferreira disse...

Poema é lindo... e estou como o Remus, o que irei encontrar lá fora? :)

Rute disse...

Helder

...nunca teremos certezas sobre isso, não é?!...

1 beijo:)