terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Quando não há palavras...




Como estou a passar por uma fase em que não tenho inspiração nenhuma, quero pedir a vossa ajuda e lançar-vos um desafio. É simples, basta olhar para a fotografia e escrever algo que ela vos transmita. Conto convosco...;)

sábado, 30 de janeiro de 2016

Gostei dela 'prontos'






Sei que tem ruído, as gaivotas desfocadas, mas gostei dela, 'prontos'...da fotografia, claro.

Imagino uma hélice à espera de começar a trabalhar a qualquer momento, a velocidade a aumentar, a vertigem do vento forte e depois o céu a ser dilacerado pelas pontas das hélices. as gaivotas vão todas a jogo, é a hora da Roleta Russa. a velocidade nunca diminui, antes pelo contrário, acelera como se não houvesse amanhã...as gaivotas desviam-se com agilidade, ainda assim não são imortais e algumas descem a pique até se estatelarem no chão. outras não, esgueiram-se por entre as hélices como se fossem dançarinas contorcionistas e vencem!
O jogo é obrigatório, é preciso vencer a morte e lutar pela vida...sem certezas...sem garantias.
VIVAM CADA DIA COMO SE NÃO HOUVESSE NENHUM OUTRO PORQUE ÀS VEZES NÃO HÁ MESMO!


P.S- Dedico este post ao José Boavida , colega de Liceu, amigo que reencontrei há poucos meses  e que infelizmente faleceu a 7. Jan.  Não chegamos a ter tempo de pôr as novidades em dia...










domingo, 17 de janeiro de 2016

" Vai correr tudo bem"




Tenho que partilhar convosco que correu tudo bem, a minha operação correu muito bem.
Eu estava em pânico com muito medo de já não acordar da anestesia. E isto tudo porque eu sou muito piegas e nunca tinha sido operada...a ideia de me porem a dormir de repente angustiava-me...mas não havia volta a dar! Quando me foram buscar ao quarto para me levarem até ao o Bloco Operatório, voltei a ficar em pânico...depois, assim de repente começaram a cair-me as lágrimas silenciosamente mas em simultâneo veio-me à cabeça aquela frase que tantas, mas tantas pessoas me disseram, " VAI CORRER TUDO BEM". Nunca pensei ouvir da boca e ler nas palavras dos amigos e família , centenas de vezes, "vai tudo correr bem", "vai correr tudo bem". Esta frase foi comigo  no percurso até à sala de 'corte e costura' e acalmou-me imensamente...  OBRIGADA A TODOS OS QUE ME DERAM ALENTO. 

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Parabéns



- PARABÉNS RITINHA - 15 Anos


A minha princesa mais nova já tem 15 aninhos!!!!

Não tenho muitas palavras... as minhas filhas são os meus amores, a minha maior obra neste mundo...
Muitos parabéns filha, desejo para ti tudo o que te possa fazer feliz, a música, a dança, sempre a dança...

domingo, 3 de janeiro de 2016




O MEU PAI COM OS SEUS 11 NETOS

Na véspera de Natal em casa do Avô...sim porque na Passagem de Ano já só tivemos a companhia do Vasquinho... :)

Isto passa tudo muito rápido, pessoal! Quem tem filhos pequenos que os aproveite muito bem, porque um dia acordamos e eles já só querem estar com os amigos e só os vemos de passagem.
No meu caso tenho a sorte de as minhas filhas serem muito amigas dos primos e a maior parte das vezes saem uns com os outros, por faixas etárias.

Nota: Os outros 10 sobrinhos são do outro lado da família


quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Neste Natal " encosta-te a mim"...



O importante não é ter uma árvore de Natal grande, cheia de enfeites e luzinhas a piscar se não houver ninguém para vibrar, sorrir à sua volta. O importante é estarmos na companhia de quem mais gostamos, é partilhar histórias, piadas, risos, abusar dos doces...é poder abraçar e ser abraçado, é trocar sorrisos, brincar, seja em que idade for. Sentar no chão, tocar e cantar, rasgar embrulhos...
Este ano deixo aqui estas pequenas árvores (de Natal) ainda imberbes que representam a crise pela qual o país está a passar (tirando aqueles que nunca souberam o que isso é...) e ao mesmo tempo simbolizam a esperança de que podemos singrar e recomeçar de novo, cada um de nós.
" Ele disse-lhe, encosta-te a mim e ela respondeu-lhe que não havia mais nada que quisesse deste Natal que não fosse aquele abraço, noite a dentro... e ela ainda conseguiu pentear aqueles cabelos revoltos e colocar uma grinalda de princesa...

DESEJO A TODOS OS MEUS AMIGOS AQUI DA BLOGOSFERA UM FELIZ NATAL, COM MUITA ALEGRIA, CALOR HUMANO, SAÚDE E ESPERANÇA NO FUTURO...

JOÃO MENÉRES, REMUS, CARIN, MARCO C., MANU, ANA FREIRE, RUI PIRES, MARIANA CAPELA, DIANA TAVARES, PAULO C. S., QUESTIUNCAS, IRIS, ZEKARLOS. LINA REIS, SÉRGIO AIRES, TOSSAN, JEFERSON CEZIMBRA, SÓNIA, CLARICE

PEÇO DESDE JÁ DESCULPAS SE ME ESQUECI DE ALGUM NOME, MAS SE FOR O CASO NÃO LEVEM A MAL POIS ESTÃO TODOS NO MEU CORAÇÃO.


- BOAS FESTAS e FELIZ NATAL -

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

" O espírito do amor"




Obviamente que não fui eu que tirei esta fotografia, pois estou lá metida no meio, mas ela ilustra na perfeição a minha constante 'batalha' na transmissão daquilo a que chamo o 'espírito do amor'. Posso dizer que sem ele teria poucas possibilidades de me aguentar nestes últimos dois anos e meio. Foram e estão a ser dos piores períodos da minha vida...mas depois vou-me lembrando das pequenas coisas que me fazem felizes: ter as minhas filhas ao pé de mim, convidar os meus sobrinhos para jantar em minha casa, sair com os amigos, não deixo que as amizades morram por falta de alimentação, de cuidado.
Estes amigos são recentes mas sei que ficaram sempre no meu coração. À direita  um dos meus professores do curso de fotografia ( - Victor Neno-) que estou a tirar e à esquerda, um colega, Edil.
Já criamos uma cumplicidade grande e com outros colegas, a mesma coisa.

Há sempre pessoas que simplesmente não se envolvem, por opção, neste caso, por exemplo, por apenas lhes interessar aprender fotografia, melhorar e depois voltar para casa, mas, na minha opinião, vão mais pobres do que os que ficam para além do momento da foto  aqueles que como eu,  se envolvem e que com isso só há a ganhar: rimos muito, brincamos, ajudamo-nos uns aos outros, não estamos a competir, não há quadro de honra! É este o espírito do amor...tão simples...tão reparador. sinto tantas vezes que dentro deste espírito não há idades, deixamo-nos ir e conseguimos sempre momentos felizes...
E no meio das adversidades vou tendo sempre os meus farrapinhos de felicidade :) 

P.S - Esta fotografia é especial para mim porque este abraço aconteceu depois de eu ter dito ao Professor, que estava com medo da operação (Tenho um tumor na tiróide!) e ele e o Edil abraçaram-me assim e o professor disse que tinha a certeza que ia correr tudo bem. Apesar do medo consegui sentir-me também confortada e sorrir com sinceridade... 
Acredito plenamente que é no relacionamento com os outros, na amizade, amor, carinho e nas mais diversas formas de gostar que podemos ser felizes, ou melhor, ter momentos, períodos de felicidade.
Se formos genuínos na demonstração dos nos nossos afectos, os outros também se sentirão mais à vontade para agirem da mesma maneira.
Às vezes o mais difícil é mesmo começar... 



segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Vermelho é sempre paixão...




Para quem me conhece daqui destas andanças, já sabe que eu tenho paixão pelo vermelho. É também gosto muito de ver o vermelho a contrastar com o preto. E vai daí, desta profunda reflexão, sai esta modesta e singela fotografia.  

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Ver com todos os sentidos...


Esta fotografia desperta em mim sentimentos dúbios! Por um lado o ferro duro, indestrutível, por outro o fogo das luzes, quente, a querer derreter o ferro, a derramar a sua cor, a misturar-se aqui e ali.
Assim somos nós, seres humanos que nada valemos num estado puro de solidão, de falta de contacto, de falta do calor do fogo ou indestrutibilidade do ferro. Precisamos de ver, de tocar e sentir as texturas. É preciso saber ver com todos os sentidos!


sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Apontamentos de Outono



Encontrei o foco! às vezes andamos à procura dele...e nada. E quando já desistimos pensando que o que procuramos não passa de uma ilusão, ele vem cair-nos nos braços! Ele, o foco... ;)

sábado, 28 de novembro de 2015

Ver o teu silêncio...





Consigo ver e ouvir o teu silêncio, 

tocar-lhe sem que as mãos sangrem

ao ritmo lento do entrelaçar de dedos
  
é um grito cego esse que trazes no olhar...

não consigo dizer-te nada porque me recordo

da água do mar que dançava nas tuas pálpebras

quando te queria dizer para pensar em ficar

porque entre o silêncio e o grito desesperado

há uma  linha muito ténue  quase imperceptível

e há uma imensidão de amor por fazer

e outra imensidão de coisas fúteis e inúteis

clandestinas num desabar de terras que atordoam

baralham  e que deitam tudo a perder
 
e ainda assim consigo ver o teu silêncio

e acredito piamente que os teus dedos

 jamais de desenlaçarão dos meus


quinta-feira, 26 de novembro de 2015




A fotografia eterniza momentos, é um auxiliar da memória.Ela causa emoções, pode fazer-nos rir, chorar , fazer-nos perder em nostalgias e em recordações.
Eu sou feliz sempre que fotografo smile emoticon

sábado, 21 de novembro de 2015

Less is more II ...



À medida que os anos passam por mim, vou precisando cada vez de menos coisas para me sentir feliz. 
Certamente que será o culminar de um ciclo de vida: nascemos despojados de tudo e assim morremos. Vivemos, ganhamos, perdemos, queremos mudar de carro, comprar mais umas calças, viajar ...e ingenuamente pensamos que quanto mais tivermos mais feliz será a nossa vida.E vai daí e acontece o"inesperado", começamos a perder pessoas, amigos, familiares e aí sim, começamos finalmente a perceber, a sentir na pele e no coração o que é realmente a perda E depois de acontecer aos outros percebemos que não somos imortais e que de um dia para o outro podemos ser os próximos ...e aí paramos para baralhar e voltar a dar as cartas. e  quando sentimos que a vida não é justa e julgamos não aguentar mais, olhamos para o céu num acto de desespero e somos felizes de novo com a visão da expressão máxima de liberdade e cada um olha ao seu ritmo ...ainda que possa ser por escassos minutos...cada um   faz a sua leitura, a sua interpretação, cada um sente à sua maneira e, alguns, não sentem absolutamente nada...
Mas também ninguém disse que seria linear ou fácil!

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Pela Paz!



Estou angustiada, perplexa com os atentados terroristas em Paris! Eu estava a dormir no sofá e de repente acordo, olho para a televisão que ficara ligada e leio,  "Noticias de última hora"...comecei a tentar perceber o que se estava a passar e de repente lembro-me que a minha filha Sofia está em Londres e onde é que isto se está a passar?!!! Confesso que ali por uns bons momentos fiquei completamente desorientada e comecei a chorar quando percebi que era em Paris... Estava sozinha em casa e lembro-me que o meu pensamento era um só, ter todas as minhas filhas debaixo da minha asa...Mãe é mãe, não tem explicação! Mães e pais amam os seus filhos e perante a eminência de perigo, o instinto é protege-los.
O mundo tornou-se num lugar perigoso para vivermos, a Europa deixou de ser um lugar seguro para criar os nossos filhos.
O Ser Humano está desumanizado, contaminado pela ânsia do poder,do dinheiro, do domínio, a qualquer preço.
As pessoas esqueceram-se que são as pessoas que contam, que este mundo existe para nós e para nele vivermos em paz e sem medo. O valor da vida humano é nulo em determinadas culturas, o das mulheres um pouco pior. Um corpo sem coração é uma das maiores ameaças à estabilidade, ao equilíbrio da humanidade.

Trago-vos esta fotografia porque a mim transmite-me serenidade e paz de espírito, espero que a vocês também chegue algum sentimento pacifico e tranquilizador....
É imperativo que não deixemos de acreditar que o espírito do amor pode vencer e que  é a arma mais forte para enfrentar a raiva, o ódio, a prepotência daqueles que não atribuem à vida humana qualquer valor. não podemos deixar que as forças do mal vençam as do bem. É obrigação de todos nós contribuirmos nesta empreitada!

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Depois do fim da festa ?!...





Procuro sentido em coisas que não precisem de amor para descansar as emoções, sempre
tão intensas, avassaladoras... mas não encontro, ou então sou eu que não sei procurar! Às vezes queria ter a capacidade de nada sentir, de conseguir hibernar, fechar os olhos, enroscar-me e apenas sentir o barulho da minha respiração.  
É tão difícil esvaziar o cérebro e o coração! Uma pacto explosivo, estes dois...