quinta-feira, 15 de setembro de 2011


RECORDAÇÕES DE INFÂNCIA  #  I

Lembro-me da minha infância como algo fantástico! Éramos quatro irmãos praticamente da mesma idade, tinha uns pais amorosos, uma avó com mau feitio... e um tio-avô sempre bem disposto que comia o que tinha na vontade, às horas que bem entendia, porque dizia ele que " o estomâgo não sabe se é noite ou dia". Tínhamos um cão e um gato que não se podiam ver um ao outro e um papagaio que imitava o som da máquina de lavar-loiça e as gargalhadas dos membros da família.
Éramos muitos, vivíamos todos na mesma casa e era uma animação constante...Penso que os meus pais só tinham uns dias de verdadeiro  descanso quando íamos para os Escuteiros, para o grande Acampamento de Verão. Para nós eram dez dias inesqueciveis de camaradagem, companheirismo e de uma série de aprendizagens que me ficaram para a vida toda. Ali aprendi a amar a vida ao ar livre, a partilhar, a trabalhar, a ter espírito de sacrifício, a cozinhar..., a construir mesas, cozinhas, bancos, etc...Mas o mais importante, o que é mais digno de registar, é que a maior parte dos meus grandes amigos vêm desde aí, ficaram e penso que ficarão para sempre. Muitos vivem noutras cidades, até noutros países, mas os laços mantêm-se, são muito fortes, são resultados de muitos dias e noites de campo a partilhar as mesmas  alegrias e brincadeiras e as mesmas dificuldades. 
De tal maneira o Escutismo me marcou que as minhas filhas também lá andam...bem como os meus sobrinhos e os filhos dos meus amigos que lá andaram no antigamente...é uma nova geração também ela já ligada entre si por laços fortíssimos. É gratificante vê-los assim! Ensinaram-me nessa altura, e continuo a acreditar piamente nisso, que o Escutismo é um modo de vida....


ACAMPAMENTO DE VERÃO - AGR.900 - 2011










* Fotografias de Pedro Saraiva


Nota: Quis deixar algumas imagens daquelas crianças e jovens que ainda têm o privilégio de podes viver assim, uns dias ao ar livre, apenas na companhia uns dos outros, sem terem de se preocupar se a t-shirt condiz com os calções e com os ténis  ...  sem computadores, telemóveis ou televisão, mas com a alegria partilhada de sentirem que estarão para sempre juntos e que no dia seguinte até irão adormecer ao relento, a olhar com toda a liberdade do mundo, para o silencioso brilho das estrelas...



14 comentários :

Clarice disse...

"Um amigo é um bem..." e isso é ainda mais verdadeiro quando é partilhado numa noite ao relento... passado já alguns anos continua a ser verdade, e como um rio... essa veradade também agora partilhada pelos mais novos... brilham os nossos olhos no brilho dos seus olhares...
Parte de mim é muito feliz por tudo isto!!! Outra parte de mim, procura (sempre) ser também mais feliz por tudo isto... não estou só nesta caminhada, é essa a força do andar:)

*beijo muito amigo!

Cla Leal disse...

Rute, que maravilha!! Entendo bem o que você escreveu e compartilho da sua opinião... também tive o meu acampamento na infância e sinto muita saudade daquele tempo. Gostava tanto, mas tanto, que quando deixei de ser criança, comecei a trabalhar lá para poder aproveitar mais um pouquinho daquele clima... é muito bom passar dias sem se preocupar com nada, a não ser em se divertir!!!!
beijinhos

Helder Ferreira disse...

Nunca fui escuteiro.. mas adoraria ter sido. :) Obrigado pela partilha. :)

Sérgio Pontes disse...

Gostei bastante de ler.

Beijinhos

Adriana Vargas de Aguiar disse...

Há duas épocas na vida, infância e velhice, em que a felicidade está numa caixa de bombons.
"Na infância.. Bastava sol lá fora e o resto se resolvia."


Venha conhecer o clube dos novos autores, fazer parte conosco de nossa história, para participar dos sorteios dos 15 livros mensais, basta você seguir o blog comentar - "eu quero participar da promoção!" Já estará fazendo parte da marcha que apoia a expansão da literatura em nosso país!
Quanto mais comentar, mais aumenta a sua chance de ganhar.
Venha com agente!
Aqui já estou seguindo.
Um grande abraço, e um dia lindo a você!
Adriana

Remus disse...

Também estou como o Helder: Nunca fui, mas gostava de ter sido.
Na minha infância não havia escuteiros na minha santa terrinha. Actualmente já existe, mas acho que já é tarde para entrar. :-P

Rute disse...

Clarice

...eu sei que tu sabes o que isto é...para sempre, como bem dizes " essa verdade também agora partilhada pelos mais novos...brilham os nossos olhos no brilho dos seus olhares..."

Bjinho, amiga;)

Rute disse...

Cla

...acho que temos muitas coisas em comum...já me tinha apercebido disso noutras 'conversas' por aqui:). Também depois de adulta regressei aos escuteiros e ainda fiquei por lá enquanto a vida mo permitiu...O escutismo (a sério)é qualquer coisa que nos fica para sempre, não é?;)

* Como não consigo comentar lá no teu sitio, vou dizendo por aqui...estou a adorar esta tua nova série, com o teu cunho muito caracteristico e muito original.

1 beijinho:)

Rute disse...

Helder

Não te esqueças desta conversa e um dia, quando tiveres um filho...já sabes ...;)

1 beijo:))

Rute disse...

Sérgio

Obrigada:)

1 beijo:)

Rute disse...

Adriana

Obrigada pelas suas palavras e por ter vindo até aqui:))

Rute disse...

Remus

Deixo-te as mesmas palavras que deixei ao Helder...mas na verdade nem sequer sei se tens ou não filhos...:)

1 beijo:)

Remus disse...

Porque não quero que fique na ignorância: Não tenho filhos...
:-) :-P

mfc disse...

São dias que não esquecem nunca mais!