quarta-feira, 1 de abril de 2015

Vida...


Eu sei que não é perfeita, mas em tempos, já foi. A vida muda, as pessoas mudam, as coisas mudam.
Os nossos corpos transformam-se, os rostos alteram, surge uma ruga de expressão, depois outra mais constante e exteriormente muitas vezes deixamos de nos reconhecer. Mas as flores continuam a desabrochar na Primavera, os sorrisos permanecem, os abraços continuam a unir quem se ama, a música continua a fazer-nos vibrar, emocionar.encontramos velhos amigos do Liceu, passados 30 anos e relembramos histórias daqueles tempos e voltamos a ser adolescentes e a idade não faz sentido. 
Com todo o sofrimento que é inerente ao acto de viver, podemos ser felizes com as pequenas coisa que fazem com que valha a pena. 
O nosso exterior é só o papel de embrulho, o invólucro, o efémero...


5 comentários :

Remus disse...

«Eu sei que não é perfeita»
Mas para mim, eu sei que é perfeita.
A Rute é perfeita. Eu sou perfeito. A flor é perfeita. Até o Passos Coelho é perfeito. Somos todos perfeitos... Alguns é que possuem um nível inferior de perfeição, mas não é por isso que deixam de ser perfeitos.
:-)
Acho que aquilo que acabei de escrever não faz nenhum sentido, mas já que está escrito, fica escrito. :-P

Gostei desta magnólio perfeita-imperfeita.
Com um pouco de sorte, poderia ter um fundo em que seria completamente metade escuro e outra metade clara. Criaria um bonito efeito gráfico.

Ana Freire disse...

Realmente o nosso exterior é só o papel de embrulho... que a gente estica e disfarça o amarrotado, conforme pode...
Normalmente é sempre o que chama mais a atenção, e o que tem menos valor... porque se o interior, o conteúdo, não fôr bonito de se ver, ou de se apreciar... não há pacote que resista, sem nada por dentro... deixe-se pois a vaidade, para quem não tem mais nada para mostrar...
A foto está linda... e as palavras... assertivas e acertadas como sempre.
Beijinhos, Rute! Boa Páscoa para todos aí desse lado.
Vou-me ausentar por uns dias.
Até breve!
Ana

Manu disse...

Tudo pode ser perfeito aos nossos olhos, por exemplo eu achei esta flor uma perfeição.
A Primavera mostra-nos que é preciso morrer para renascer de novo, que o tempo não apaga memórias, que a vida é uma dádiva que deve ser aproveitada vivendo e agradecendo.
Hoje estamos aqui, amanhã partiremos, por isso enquanto cá andamos que possamos dar valor ao que nos faz sentir bem e que possamos fazer os outros felizes..

Aproveito para te desejar uma Óptima Páscoa.

Beijinhos Rute

Carmem Grinheiro disse...

Rute,
o que é importante prevalece.
bj amg

Kaipiroska disse...

LINDA!