domingo, 12 de outubro de 2014

Prisão...



Às vezes sinto-me prisioneira do coração...quando não quero ouvir, quando não quero acolher, quando só me apetece dormir e deixar o mundo girar como se eu não existisse. E o mundo gira exactamente na mesma como se eu não existisse, porque eu não faço falta ao mundo. Mas as pessoas que precisam de mim ficam de olhar mais triste, mais sós, desiludidas, mais prisioneiras do desgosto.
A Terra não pára de girar quando desaparecemos, mas quando nós paramos e nos agrilhoamos, há gente a chorar por nós e a gritar em silêncio que lhes fazemos falta, que o mundo fica pobre e mais vazio...

19 comentários :

Ana Freire disse...

Impossível não ficar prisioneira deste blog... que nos liberta a alma...
Pura emoção, como sempre, em imagens e palavras...
Quero aqui continuar prisioneira... e sem resgate...
Bom estar de volta, por aqui.
Já tinha saudades...
Jinhos
Ana

João Menéres disse...

Então não fica, RUTE ?

Lindas essas grades assim !

Um beijo.

Rui - Olhar d'Ouro disse...

Todos fazemos falta ao mundo, nós, de bem!
Linda foto!Bjs Rute

Manu disse...

Revejo-me nas tuas palavras, mas luto dia após dia para não me deixar aprisionar.
Este teu olhar está magnífico

Beijinhos Rute

Mona Lisa disse...

A tua foto fez-me lembrar bambus e associei-a aos escravos(prisioneiros) que trabalhavam nos sess campos.(coisas minhas)

A foto está excelente...és artista.

Beijinhos.

ZEKARLOS disse...

Mais um excelente post, sempre com uma qualidade acima da média. Muito bom. Bj

Remus disse...

Ó Rute... Mas então é a outra que rouba tudo a torto e a direito (leia-se a Clarice) e és tu que vais parar ao chilindró?!
Não acho nada bem.
:-D

Não sei que coisa é esta. Não sei como a fotografia foi feita. Mas como grafismo que é, acho que está excelente.
É uma daquelas fotografias deixa-nos a pensar no que será, mas que duvido que alguém chegue a alguma conclusão.
:-)

Questiuncas disse...

Brilhante, brilhante, fantástico, fantástico, fenomenal, fenomenal.
Acho que a vou ter de começar a tratar por mestra.

GL disse...

O que (me) prende aqui é a palavra na mensagem que transmite. Nós nunca somos "só" nós, e se somos não deveríamos ser. Somos sempre nós e o Outro, ou assim deveria ser.
A fotografia está revestida de mistério. Queres desvendar?

Rute disse...

Ana

Também já tinha saudades tuas:)
Obrigada pelas palavras e volta sempre.

Beijinhos

Rute disse...

João

Muito obrigada:)

1 beijinho

Rute disse...

Rui

Verdade, Rui.
Obrigada e volta sempre.

1 beijo

Rute disse...

Manu

Muito obrigada Manu, já percebi que temos muitas coisas em comum;)

1 beijinho

Rute disse...

Mona Lisa

Mas que grande elogio...agradeço a generosidade das tuas palavras.

Beijinhos

Rute disse...

ZEKARLOS

Estas palaavras vindas de um grande fotografo e criativo como ti, deixam-me vaidosa, eheheheheh.

1 beijo

Rute disse...

Remus

Passo a explicar, as grades são óbvias e do lado de lá são canteiros com umas ervas verdes que nunca chegaram a dar flor. Tudo isto faz parte de um Parque Infantil;)

Beijinhos

Rute disse...

Questiuncas

ehehehhehe, muito longe disso, mas sabe sempre bem ouvir um elogio desta tamanho:)

1 beijo

Rute disse...

GL

Muito agradecida pela visita. o mistério está desvendado na resposta que dei ao Remus.
As palavras, essas, são uma das minhas grandes paixões.

volta sempre

1 beijo

Jéfferson B. Cezimbra disse...

A foto está simplesmente magnífica.
A luz nos "retorcidos" do ferro fizeram toda diferença na foto.
Bjos