sábado, 8 de junho de 2013

Deambulações da alma...






Pressinto que o dia acaba lá fora quente e quieto, apenas oiço o ruído que fazem as lâmpadas nesta pequena sala onde invariavelmente me sento e gasto mais algumas horas da minha vida. Anseio muitas vezes pela luz do sol, pela luz que emana o mar, mas não me mexo e continuo a sós comigo e sem certezas deixo que os meus dedos sem rumo escrevam estas palavras vagas e difusas...os pensamentos cavalgam dentro do meu cérebro cansado e, sem procurar, vão direitos a ti e apenas consigo lembrar através do ardor do meu peito e das saudades espalhadas por toda a pele que me cobre que afinal esse teu amor nunca chegou a partir, entrou sub-repticiamente como uma brisa quente e nunca mais saiu, vagueia dentro de mim brincando com o sangue que me corre nas veias e viaja abraçado a elas tornando o meu corpo e o meu riso felizes nesta sala onde invariavelmente me sento ou, lá fora, onde o dia acaba quente e quieto. nunca te senti chegar, nunca te senti partir, começo a pensar que sempre estiveste em mim como o sal na imensidão do mar! 



19 comentários :

:.tossan© disse...

Não fez nem um mês e você voltou. Que bom. Bonito isso que você escreveu. Beijo

Rute disse...

Tossan

voltarei sempre que possa, mas infelizmente vou ter muito pouco tempo.
Obrigada pelas tuas palavras e pela tua visita. volta sempre:)

1 abraço

Marco C. disse...

olhar a foto, ler o texto e ouvir uma musica calma. Perfeito Rute. Bjos

Questiuncas disse...

Já ganhei o dia com este post.
Até breve, muito breve desejo eu.

Manu disse...

Lindas as palavras, palavras que transmitem um redemoinho de emoções com uma paisagem de fundo maravilhosa.
Assim, por mais que queira nunca estará só nesse sofá onde se aconchega.

Beijinhos Rute

the dear Zé disse...

uáu

:.tossan© disse...

Se eu disser que o texto é lindo será muito pouco pela grandeza das palavras. Beijo

Marina Linhares disse...

Estou como você, Rute... totalmente sem tempo.
Mas não deixo de passar para deixar um beijinho.

(Um pouco distante por algum tempo... mas, não me perco de você e do seu blog. Entre idas e vindas, estarei sempre por aqui).

Remus disse...

Olho para a fotografia e parece que ali ao fundo, vejo a cauda de uma sereia. Mas a esta distância não dá para ter a certeza e o mais provável é que seja a cauda de um carapau.
:-)

Se o mar era o pretexto que precisavas para voltar, espero que comeces a ir ao mar mais vezes. :-)
Dizem que a maresia limpa os pensamentos e coloca-os mais límpidos. Pelos vistos é verdade.

PS: A imagem do cabeçalho já ficou bem. Não está enorme e está com o tamanho certo. Já estás uma perita!
:-)

ZEKARLOS disse...

Um post muito bem conseguido, como sempre o fazes e muito bem.

Obrigado pelas tuas palavras e força, são autênticos empurrões.

Bjs, fica bem.

Rute disse...

Marco

Gosto muito de te ver por aqui e ainda bem que gostaste:))
Volta sempre

1 beijo

Rute disse...

Questiuncas

:)) Ora ainda bem, fico feliz com isso.

1 beijo

Angelikas Photographic Sketchbook disse...

Gostaria estar lá, sentada a beira do mar esperando o por do sol

Rute disse...

Manu

Então agora tratas-me por 'você'? não pode ser...

Ainda bem que gostaste:)

1 beijinho

Rute disse...

dear Zé

...isso é bom, não é?...;)

1 beijinho grande

Rute disse...

tossan

É muito bom saber que gostaste...tu que tb escreves!

mais um beijinho

Rute disse...

Marina

Vem quando puderes, és sempre muito bem vinda:)

1 beijinho

Rute disse...

Remus

O mar faz-me imensamente bem à alma, mas acho que a inspiração ainda é muito incipiente e o tempo...é quase zero...:(

A imagem do cabeçalho foi por tentativa/erro;)

1 beijinho

Rute disse...

ZEKARLOS

Muito obrigada:)

Acho que os "empurões" a dar muita força são reciprocos. Mais um muito obrigada pelo incentivo:)

1 beijo