sábado, 16 de abril de 2011



Hoje fui buscar-te...



enquanto caía a tarde

queria chegar cedo

 para te trazer com vagar

queria que os meus passos

 fossem como silenciosos

pedaços de algodão

para que conseguisses ouvir

o bater sereno do meu coração

para que sossegasses

e não te não deixasses perder

na desconexão dos dias sem sentido

na angústia contagiosa

dos olhares que se esvaziam

queria que o meu chegar

 fosse bálsamo e sedativo

queria aplacar-te a angústia

com o arrepio da minha pele

queria ir chegando assim

ao cair da tarde

aos poucos sem ruído

sem pressa, com vagar

serenar-te caminhos

deixar-me ficar...



12 comentários :

João Menéres disse...

Belo poema, RUTE.

E mais palavras não tenho, pois aquele
> com o arrepio da minha pele < desviou o sentido da interpretação que eu estava a dar...

E não vou mais arriscar nomes porque sempre me engano.

Um beijo e um bom Sábado.

Rute disse...

João

Gosto de 'ver' as diferentes interpretações de quem lê...é muito interessante!

Quanto aos nomes...eles são tantos...eu também não me lembraria

1 beijo:)

P.S - Obrigada por ter vindo:)))

Remus disse...

Já não chegava ter que ver as fotografias eróticas de talheres da L.Reis, que agora vou ter que ver fotografias "quentes e sensuais" por aqui?
É uma pouca vergonha!
:-) :-)

Pormenor/momento bem captado. E um preto e branco, com um bom nível de contraste.
Parabéns.

Helder Ferreira disse...

Interessante, tal como o João, ao longo do poema fui mudando de interpretações.. primeiro pensei que era o anoitecer que queria chegar, depois a lua, depois um anjo e no final pensei que seria alguém que amas. :)
Gostei da foto tb. :)

Clarice disse...

Ai, estou a ficar velha:)

ruimnm disse...

lindo poema (de amor?).
a fotografia: mostra, não mostrando. gosto.

(sem tempo para comentários - trabalho e mais trabalho - mas vou sempre passando por cá ;)

Rute disse...

Remus

A minha singela fotografia, ao pé da 'poucavergonhice' dos talheres da Lina, é uma brincadeira de meninos :)))...Aqui não há nada quente...já os talheres da Lina, estavam a escaldar...acabadinhos de sair da máquina de lavar...

1 beijo:)

Rute disse...

Helder

...pode ser um anjo ;)...

1 beijo :)

Rute disse...

Clarice

Eu já vai para uns 60 anos que te digo que andas a ficar velha...ainda no outro dia quando deixaste cair a placa no copo de água, durante o chá das cinco...lembraste?!

1 bjinho ;)))

Rute disse...

ruimnm

Obrigada:))

Se é de amor?!...é de amor...é como cada um o quiser interpretar...

Volta sempre :)

L.Reis disse...

Mas vocês são capazes de deixar os meus talheres em paz????? Aqueles modelos de virtude e santidade... Já esta fotografia, não sei não, menina Rute...e o pior não é o que se vê...é o que se adivinha!!! Ah...pois! Mas que está fantástica lá isso está!

Rute disse...

Lina

Os teus talheres vão ficar para a história...disso já não te safas;)...

Quanto à foto, os modelos ajudam muito :)

1 beijinho