domingo, 22 de setembro de 2013

Surreal...


Ponho as mãos em concha
fecho os olhos e espero 
que me brotem dos dedos
fios de água limpida e fresca.
De olhar perdido
olho o infinito vazio 
molhado pela água 
que vai crescendo, espalhando
saciando o meu corpo
e a secura dos meus lábios. 
Olho mas não consigo ver
apenas recordo quieta
de olhos sempre fechados 
as sombras dos dias.
Imploro por algumas 
migalhas de lágrimas
mas apenas posso imaginá-las
nos meus dedos enleados 
pelos fios de água fresca 
que por eles passam.

10 comentários :

:.tossan© disse...

Quando eu era apenas um moleque sonhador, eu queria ser grande, bem grande... enorme se pudesse. Hoje sou grande e tão pequeno ainda.
Mas a tua foto e poema passam dos limites da grandeza. Beijo

ZEKARLOS disse...

Lindo post e enorme foto. 1 beijo

Remus disse...

Ó moça... acho que a fotografia está linda. Mas as palavras que lhe associaste, passaram a fotografia para outro nível.
Belíssimo conjunto.

Manu disse...

Belo quadro emoldurado com um lindo poema, como já nos habituaste!

Beijos Rute

teca disse...

Preciosa foto, Rute! Os versos tão poéticos...

Beijos.

Rute disse...

Tossan

Mas que comentário tão elogioso, assim até fico se jeito, como vocês dizem...;)

Muiro obrigada

1 beijo

Rute disse...

Zekarlos

Só posso ficar muito agradecida...

1 beijo

Rute disse...

Remus

Muito, muito obrigada e já sabes que podes sempre vir aqui buscar palavras quando assim o entenderes.

1 beijo

Rute disse...

Manu

Ainda bem que gostaste...

1 beijinho

Rute disse...

teca

Muito obrigada pela visita e pelas palavras:)

1 beijinho