sexta-feira, 19 de agosto de 2011

                                             
                                                       Quando um dia fui vento
                                     e sombra da noite
                                     tu foste brisa marítima
                                     e odor salgado
                                     e quando me perdi
                                     do calor das tuas mãos
                                     tu murmuraste-me arrepios
                                     que escorriam ternura
                                     e quando os meus olhos
                                     eram apenas duas linhas vacilantes
                                     tu trouxeste-me o mar
                                     e o verde intenso do teu olhar.
                                     Era silêncio quando chegaste
                                     e como um pássaro livre 
                                     pernoitaste em mim
                                     enroscaste-te na quietude
                                     do meu amor
                                     e sem palavras ficaste 
                                     e se me devolveste o mar
                                     e foste brisa e odor salgado 
                                     para quê falar?...



11 comentários :

tossan® disse...

Poema lindíssimo e não precisa de título. Gotei do blog! Abraço

Rute disse...

tossan

Obrigada pelo seu comentário :)

Sou uma grande apreciadora das suas fotos, passo lá pela sua 'casa'muitas vezes.

Obrigada por ter aparecido :))

Remus disse...

Nesta aqui, não concordo com a opção de ter incluído aquele pedaço de areal. É que os tons azuis do mar e do céu, estão de tal forma harmoniosos, que o cinzento do areal, destoa um pouco.

Em relação ao poema: A qualidade de sempre!

Rute disse...

Remus

É engraçado que tmbém fiquei na dúvida se tirava ou não a areia da fotografia...mas depois visualizei o que esse corte iria provocar no conjunto da foto e achei que ia perder uma parte dela muito bonita, que é aquela 1ª leva da onda que está mais próxima da praia.

* Continua a deixar-me sempre essas observações porque é com elas que vou aprendendo;)

P.S - Gostei do facto de te teres referido ao poema...é a 1ª vez, sr.Remus;)

1 beijo:))

Helder Ferreira disse...

Era silêncio quando chegaste
e como um pássaro livre
pernoitaste em mim
enroscaste-te na quietude
do meu amor

Helder Ferreira disse...

Lindo!

João Farinha disse...

Gosto da simplicidade desta imagem. pela calma que transmite.

Rute disse...

Helder

Obrigada:))...

1 beijo:)

Rute disse...

João Farinha

Obrigada pelo seu comentário.
Tammbém gosto de coisas simples;)

* Volte sempre:)

Remus disse...

Geralmente opto por não dizer nada sobre os poemas, porque prefiro concentrar-me na fotografia. Mas não quer dizer que não goste deles. Antes pelo contrário. Acho que eles fazem sempre um excelente casamento.

Rute disse...

Remus

...lá está...sempre ouvi dizer que só as mulheres é que conseguem fazer e pensar em várias coisas ao mesmo tempo...o povo é sábio;)

1 beijo:)